E a tampa, volta ou não???


Recentemente ao comprar a minha marca de refrigerante preferido (não,"não pode ser a outra"), percebi que a tampa "velha" convencional estava devolta nas prateleiras.


Nos meados de 2010, a Coca-Cola colocou no mercado uma nova tampa de suas garrafas descartáveis (2 litros, 600 ml), com design novo, "tecnologia" com redução de matéria (em nome do ambiente e do $bolso$).

Mas será que ela esperava a péssima repercussão para a marca que consumidores de todo o Brasil estão divugando na Internet?
É só apelar para o tio Google que chove de reclamações. Comigo não foi diferente.
Assíduo da marca, já tive que apelar para faca, tesoura, estilete, toalha de tecido reforçado (para não comer os dedos) - tudo pelo líquido precioso.


O que muda?
Segundo nota que está no site da Coca-Cola Brasil:
"A minitampa é resultado da tecnologia short height para embalagens, que reduz a altura da tampa e o bocal. Essa iniciativa contribui para a preservação ambiental, pois reduz o consumo da resina PET derivada do petróleo. Essa é mais uma iniciativa da Coca-Cola alinhada à sustentabilidade. A projeção da Coca-Cola é de que, com a diminuição de 4 milímetros na altura das garrafas, a redução anual no consumo de PET corresponda, em 2012, ao equivalente em volume ao material necessário para produzir 120 milhões de embalagens de 2 litros."

Em outras palavras, "ajuda" o meio ambiente e no fundo mesmo, reduz os custos diretos (matéria-prima, complexidade das ferramentas de fabricação das tampinhas, volume, etc).

Mas onde foi a falha da Coca?
Não sei. Não achei nada de comunicado na net, por enquanto.

Até lá, vou aproveitar que descolei umas garrafas com a tampa "velha" e economizar nos Band-Aids e esparadrapos:



iUrbe.

Um comentário: Leave Your Comments

  1. Essa nova tampa além de machucar a mão, causa vazamentos e faz a coca perder o gás rapidinho

    ResponderExcluir

More

Whats Hot